quinta-feira, 22 de março de 2007

Registro 14: Kaváfis, um grego de Alexandria

Hermafrodita

Dionísio

Vênus

Apolo


LEMBRA, CORPO....
Konstantinos Kaváfis

Lembra, corpo não só o quanto foste amado,
não só os leitos onde repousaste,
mas também os desejos que brilharam
por ti em outros olhos, claramente,
e que tornaram a voz trêmula – e que algum
obstáculo casual fez malograr.
Agora que isso tudo perdeu-se no passado,
é quase como se a tais desejos
te entregaras – e como brilhavam,
lembra, nos olhos que te olhavam,
e como por ti na voz tremiam, lembra, corpo.
_______________________________________________________
KAVÁFIS, Konstantinos. Lembra, corpo... Tradução de João Paulo Paes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982

Um comentário:

cid.pimentel disse...

Assim como Kaváfis, transitas entre o sagrado e o profano, criando janelas em portais secretos.
Parabéns, estás cada vez melhor.
Ignora os comuns e permanece entre o vermelho e o negro, lembrando Stendhal.
Beijos lúcidos.
Cid Pimentel